JP Sport - шаблон joomla Joomla

Sua vida. Sua sentença.

Estar na natureza implica gestão de riscos, para que o paraíso não se transforme num inferno!

 

Vi hoje a notícia de dois jovens em Palhoça - Santa Catarina - que ficaram presos num lugar chamado Morro do Cambirela. Segundo os bombeiros, eles estavam num lugar muito perigoso e escolheram o pior caminho para percorrer, “com rochas soltas e pedregulhos, chegando a um ponto onde não havia possibilidade de avanço”.

A partir desses fatos podemos fazer inúmeros questionamentos. Mas primeiro quero ressaltar a única atitude sensata dos dois rapazes: quando viram que a situação ficou incontrolável, eles decidiram parar (não ficaram tentando bancar os heróis ou sabichões) e acionaram o corpo de bombeiros por whatsapp. Perfeito: viram que não conseguiriam mais sozinhos e chamaram socorro especializado.

De resto, tudo errado. Eu entendi pela notícia dada que os jovens não conheciam a trilha, pois se a conhecessem não teriam caído naquele lugar. Não fizeram planejamento algum. E o mais grave: não estavam acompanhados de um guia experiente.

Mas o comportamento desse dois rapazes reflete a mentalidade da maioria das pessoas: pra que pagar um guia se eu posso ir sozinho? E o resultado que vemos é muitos se metendo em verdadeiras arapucas. Sempre insisto em dizer às pessoas que não se deve fazer trilha sozinhas, e que até mesmo em dupla não é aconselhável, pois se um se machucar – e dependendo do machucado – ficará complicado que apenas uma pessoa o auxilie.

Por que a importância e obrigatoriedade de um guia? E de um guia especializado em atrativos naturais? A resposta óbvia é pela obrigatoriedade da Lei. Mas a resposta ainda mais importante é: para assegurar a sua integridade física.

Aventurar-se em meio natural sem planejamento e experiência é um atentado contra a sua vida e a de outrem. As pessoas tem tendência a pensar que nada de mal vai acontecer, que os que lhes chamam a atenção estão sendo pessimistas ou rogando pragas. Ou pensam que querem ganhar dinheiro em cima delas. Fazer trilhas virou moda. Uma modinha cheia de perigos. No caso dos dois rapazes do sul, deram sorte porque havia sinal e conseguiram chamar os bombeiros. Deram sorte que os bombeiros conseguiram alcançar o local do acidente com o helicóptero, e no mesmo dia. Socorro em ambiente natural é demorado e complicado.

Um Guia de Turismo especializado em atrativos naturais está apto a fazer um guiamento seguro em que poderá proporcionar o prazer do contato com a natureza sem riscos desnecessários. Para um Guia especializado, levar um grupo para o ambiente natural implica em gestão de segurança, planejamento, mitigação/gerenciamento de riscos e muitos outros aspectos ligados a manutenção da integridade física do seu contratante bem como à educação ambiental, em que a natureza é respeitada tanto pelo risco inerente que se nos apresenta bem como por sua importância para a nossa vida. Um Guia especializado é pautado por leis e regulamentos onde esses aspectos jamais são negligenciados.

Notícias como essa de Santa Catarina são muito comuns. Aqui no Rio de Janeiro a Pedra da Gávea é campeã de acidentes (até fatais). E isto se dá pela não valorização do profissional de Turismo e desconhecimento geral da população sobre os riscos. Quem desqualifica os perigos existentes nos ambientes naturais desqualifica a própria vida. E quem desqualifica o Guia especializado negligencia a própria segurança. O problema é pagar? E por que não pagar um profissional que investe tempo e dinheiro para fazer um guiamento pautado em segurança e respeito para com o seu turista? Quanto vale sua integridade física? Quanto vale sua vida? Reflita.

 

(fonte: http://jornaldesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/noticia/2015/11/bombeiros-resgatam-homens-presos-no-morro-do-cambirela-4918271.html)

 

Corpo perfeito

(foto da internet)

 

Estão vendo a imagem acima? Lindo corpo, não? Desejável, com belas curvas e medidas perfeitas. É esse corpo que você deve ter. Nem tão magro nem maior que esse. É o corpo socialmente aceito. É o corpo que toda mulher que tem amor próprio deve ter. Porque mulher tem que ter carne – mas sem gordurinha! Gordurinha é pecado. A não ser que você queira ser banida da sociedade.

É. Parece exagero. Mas exagero mesmo é o que  a mídia faz com o culto ao corpo. E por essa razão vemos muitas mulheres fazendo sacrifícios físicos, malabarismos financeiros para serem donas do corpo perfeito. E não medem esforços. As que conseguem entram para o ranking das “gostosas” e “mais cobiçadas”. Mas as que por algum motivo não atingem o objetivo... ah, essas sofrem muito!

Não estou aqui criticando as meninas que tem corpos bonitos. Ora, eu mesma como mulher me sentiria feliz com um corpo incorruptível no quesito perfeição. Mas não tenho esse corpo aclamado pela mídia e acho que vou me matar... Vou me matar? Não, eu, não.  Mas é aqui que existe o problema do culto ao corpo. Muitas meninas que não tem dinheiro, ou não tem o metabolismo perfeito para distribuir corretamente as calorias amargam sentimentos de derrota, pesar, insatisfação e muitos outros que esmagam sua autoestima.  E surgem problemas sérios.

Com certeza você já ouviu de alguma conhecida (ou você mesma fez) alguma dieta esquisita. Dieta da sopa, da água, da luz... por aí. E todas essas com propriedade de comprovação científica de eficiência. E que na grande maioria das vezes não dá resultado além de frustração e culpa.

Meninas, por favor: cuidem de seus corpos, mas cuidem de maneira saudável. Não nascemos iguais. Não temos o mesmo metabolismo. Uma nasceu com cintura de pilão, outra nasceu com seios maiores, outra é mais esguia, ou mais “cheiinha”.  As intervenções – até mesmo as cirúrgicas – são bem-vindas quando feitas de forma equilibrada. Como uma menina sem nenhum volume de seios que se sente masculinizada e resolve colocar silicone, por exemplo, com as devidas precauções e orientações médicas. Não há mal nenhum nisso. Ou até mesmo quem é muito magrinha ou gordinha, e mergulha fundo nos exercícios de academia para se sentir melhor diante do espelho. Excelente!

Anos atrás conheci uma menina na academia em que malhava (sim, eu malhei um dia) que era muito magrinha, como eu. Eu acabei abandonando, mas ela continuou, e um ano depois estava com o corpo bem torneado, e chamava a atenção por onde passava. Foi uma transformação honesta e perfeita. Também aconteceu o mesmo com um rapaz magricelo que se tornou atlético e atraente. Formidável!

As pessoas que estão acima do peso devem se cuidar –corretamente – para prevenir danos à saúde e evitar hipertensão, diabetes, problemas cardíacos, tudo o que já sabemos. Mas com a motivação correta: “vai ser bom pra mim, pra minha autoestima mas principalmente para minha qualidade de vida”.

O que me assusta é que vejo muita gente ensandecida nas academias e nas dietas atrás dessa aceitação de uma estética social perversa. Entenda que o corpo perfeito é o seu corpo saudável, no peso ideal para você. Seu corpo livre de doenças que o mantém bem disposto para trabalhar, divertir-se, exercitar-se... Quando você se preocupa com o seu corpo porque não está de acordo com o padrão estabelecido e não para o seu bem-estar físico e mental, cuidado: “você não está fazendo isso certo”.

Alimente-se bem, caminhe, procure sempre orientação médica e cuide também – principalmente – de sua mente. Quando se está em paz e cheio de pensamentos positivos e otimistas, o ser humano é capaz de coisas maravilhosas até com o próprio corpo. Ao contrário de uma mente atormentada que procura desesperadamente fazer parte da forma de bolo que não cabe em todo mundo.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Vivi Trilhas

UM BREVE DEPOIMENTO DA MINHA VIVÊNCIA COM A DANÇA

 

Fazer algo que se ama faz bem pro corpo. Novidade nenhuma, não é? Bom, eu não tenho receita de bolo, nem fórmula química, mas escolhi uma trajetória bem movimentada para o meu corpo que tem me proporcionado inúmeros momentos de felicidade e realização. Falando praticamente: dançar traz benefícios em relação às questões motoras, melhora a coordenação e o condicionamento físico. Dançar fortalece a musculatura, e assim consequentemente protege as articulações. Dançar aumenta a flexibilidade e melhora a capacidade cardiorrespiratória, além do corpo ter mais chances de encontrar uma postura mais harmoniosa. É claro que ao mesmo tempo um bailarino profissional, que é o meu caso, tem que estar atento à sua ferramenta de trabalho (o corpo) o tempo todo. Por usá-la bem mais que a maioria, o excesso também traz malefícios, por isso é extremamente importante um acompanhamento médico quando queremos tornar a dança uma profissão duradoura.

 

Mas além dessas abordagens, tem o lado subjetivo e emocional que o movimento traz. Dançando aprendemos a dividir espaço, aprendemos a nos expressar, somos testemunha da alegria do outro. Ao nos movermos estamos entrando em contato com a nossa intimidade e o que há de mais precioso nela. Podemos através da dança nos deixar atravessar e olhar com afeto para o próprio corpo. Isso não tem preço. A dança trouxe meus melhores amigos. Através dela sinto que a vida é fluxo, que é onda. Ao colocarmos nossa atenção em uma atividade que nos proporciona prazer, conseguimos alguns efeitos colaterais, como: diminuir o estresse, relaxar, sentir o corpo vivo, comunicativo, mais capaz para as funções cotidianas, mais equilibrado, mais social, mais ativo. Sem contar algo que é prioridade para muitas pessoas: ajuda a queimar calorias. Entretanto acredito que focar no emagrecimento tira toda a diversão que a dança pode trazer.

 

Na minha visão de mundo, para quem já é adulto e decide escolher a dança, saiba que também estará escolhendo desafios. O corpo tem memória e guarda consigo todo o caminho trilhado. Se o seu dia-a-dia foi focado integralmente em um trabalho que exigiu sempre muito pouco do corpo e mais da mente, o início pode ser doloroso. O corpo se acostumou com a inércia e ganhar espaço por dentro não é fácil. Mas escolher o movimento sempre faz muito sentido, afinal estamos mergulhados num mundo que gira sem parar. Estar em movimento é estar em contato com o outro e com o planeta.

 

 

Carol Pires, carioca, 33 anos. Bailarina profissional da Focus Cia de Dança.

Sua paixão e dedicação à dança começou na tenra infância, aos 4 anos de idade, e desde então não parou mais. Orgulho da família e um exemplo para todos nós. 

 

 

 

 

 

 

Não sou a Mulher Maravilha

Oi. Muita gente me conhece apenas aqui pelo face ou pelo site. Muitos me vêem em fotos super legais e em lugares super bacanas. E vivo vendo a frase: “Nossa, você é incrível! Você não pára um dia sequer! Como você é corajosa! Um dia vou ser igual a você! Nossa, você é maluca!”

Acho engraçado ouvir tudo isso, mas ao mesmo tempo me preocupa, porque parece que eu sou a mulher maravilha e todos os outros são mortais que jamais conseguirão fazer o que eu faço.

Pois, bem, aqui revelo a verdadeira identidade da heroína Vivi. E que eu adoro vinho, ler bons livros e que minha alimentação não é muito saudável, não. Peco em muitas coisas. Sou magra de ruim, mesmo.

Começo dizendo que estou muito longe de ser heroína, muito, mesmo. Os amigos mais íntimos, que me conhecem bem de perto, sabem que sou uma medrosa de marca maior. Não sou uma infante inveterada que se joga nas aventuras bravamente. Sabe aquela frase famosa da internet: “se der medo, vá com medo, mesmo”? Pois, é, sou eu. E aquela outra frase: “tenho medos bobos e coragens absurdas”? Essa me define perfeitamente.

Semana retrasada eu fiz um rapel incrível de 30 metros (claro que tive medo. E fiz outros também, o primeiro foi de 90m em 2012) mas no dia seguinte não queria subir numa árvore a 1,5m do chão! Verdade, tem testemunha disso.

Quando subi a Pedra do Baú pela primeira vez eu tremi igual vara verde para passar de um ponto a outro e tive que parar e respirar fundo até meu corpo parar de tremelicar feito uma britadeira. Isso depois de ter voado mais de uma vez de asa delta e uma vez de balão.

Morro de medo de entrar na água quando meus pés não alcançam o fundo. Entro em pânico. Mesmo. Mas ando de barco, jet-ski, etc... Só não me coloca dentro d’água. Adoro cachoeira, mas tem que dar pé. E não me importo de pagar mico sendo a única adulta a usar colete salva-vidas. E pasmem: já fiz um rafting de 3h no Mato Grosso, com duas quedas de 2 e 4m. E adorei, mesmo não caindo na água como todo mundo porque tinha medo de ter sucuri no rio.

Seu mundo caiu? Vivi Trilhas é uma enganação? Não, meus amigos, a mensagem não é essa. Quero que vocês percebam que com todas as minhas limitações e meus medos, nunca deixo de fazer o que tenho vontade, o que acho bacana pra mim. E mesmo quando não tenho a melhor performance do mundo ( vou igual a robozinho, tensa, cheia de medo) eu vibro com tudo o que faço. Cada nova aventura é uma nova estrelinha pra mim, uma superação. Não, não quero agradar nem provar nada a ninguém. Quero viver e ser feliz. Apenas isso.

E tenho dito: não me imagino vivendo outra vida. Não me imagino longe das trilhas, do vôo livre, das montanhas... eu não seria feliz, eu não seria EU.

Portante, não me julguem um ET, ou maluca, ou mulher maravilha. Sou muito menos que tudo isso. Sou frágil. Só me aventuro com gente altamente capacitada ( quando digo que não sou maluca é porque não me aventuro sem calcular os riscos). Sou uma pessoa absolutamente normal. Depois de um final de semana de aventuras, tenho dores musculares, fico cansada, sim – já sou uma senhora!

Assim, entenda: você também pode fazer o mesmo. Você também pode ter uma vida mais emocionante. É só querer. E não precisa gostar das mesmas coisas que eu gosto. Vá ser feliz com o que você mais curte. Não se prenda pelo medo ou pelo fato de outras pessoas não aprovarem. Porque no final das contas – e no final da sua vida – as experiências que você viveu serão unicamente suas. E as lembranças de dias felizes é que darão paz ao seu coração.

Vivi Trilhas - Guia de Turismo, Arquivista, carioca, 38 anos, uma cidadã comum como você que busca aproveitar a vida da melhor maneira possível, sem nenhum heroísmo.

 

 

 

Nutrição e atividade física

 

Olá, tudo bem!

Em um primeiro momento você precisa consultar um cardiologista para saber como está o seu coração, e então, liberado por ele, procure uma atividade física que mais o agrade. Pronto, começou a se exercitar! Agora é hora de cuidar do seu melhor amigo neste momento, o seu corpo.

HITRATE-SE! É extremamente importante para qualquer pessoa beber muita água  e, para quem se exercita há uma eliminação maior de água através do suor, o que pode ocasionar uma desidratação, principalmente naqueles indivíduos que se exercitam ao ar livre com exposição ao sol.

Faça uma alimentação equilibrada, pois é ela que vai dar o combustível para que seu corpo funcione em harmonia, portanto dê o melhor para ele. Às vezes saturamos o nosso corpo com frituras, sal e açúcares em excesso e tudo que é demais não é bom. Já que está no caminho certo, procurando melhorar sua qualidade de vida, siga essas dicas:

- Alimente-se de 3 em 3 horas em quantidades adequadas para seu corpo;

- Consuma frutas, no mínimo 4 porções por dia;

- Tanto no almoço quanto no jantar inclua folhosos em sua refeição;

- No seu café da manhã e lanche da tarde consuma alimentos que tenham fonte de cálcio como queijos, leite e iogurte (dê preferência aos sem açúcares);

- Coma peixes, frangos grelhados e menos carne vermelha;

- Inclua sempre no almoço uma leguminosa (feijão, ervilha, lentilha);

- NUNCA ingira junto com o seu alimento fonte de cálcio alimentos como café, guaraná natural, mate, coca-cola ou pepsi, pois estará impedindo que o cálcio seja absorvido (ex.: queijo quente com coca-cola, café com leite, pão com queijo minas e guaraná natural);

- NÂO beba líquidos durante a alimentação, pois estará atrapalhando o seu estômago a fazer o trabalho dele com perfeição;

- SEMPRE prefira sucos naturais a refrigerantes, mas tome cuidado, um suco de laranja, por exemplo, é muito mais calórico. Prefira os sucos que são feitos com fruta e água (limonada, suco de abacaxi com hortelã);

- Para as sobremesas dê preferência a uma fruta ou picolé de fruta ou doce diet;

- Só faça uso de suplementos se orientado por uma nutricionista. Muitas vezes usam-se suplementos sem necessidade e/ou de forma incorreta.

Uma alimentação equilibrada e sem excessos vai manter o seu corpo são e pronto para as aventuras que quiser e puder fazer.

Após um dia de trabalho e atividade física o bom mesmo é relaxar! Agora é hora de descansar, uma boa noite de sono revigora e repõe as suas forças para o novo dia que está por vir, que espero, seja esplendido.

 

Um abraço da Nutricionista

Verônica Braga

CRN 07100754

 

 

NUTRICIONISTA  FORMADA  PELA UNISUAM

PÓS GRADUADA EM NUTRIÇÃO 

Especialista em NUTRIÇÃO CLINICA PELO IPEC/FIOCRUZ

NUTRIÇÃO FUNCIONAL E DIETA DETOX PELA ANERJ

 

 

 

 

Agora que você já recebeu excelentes dicas para sua saúde, que tal ir em Programação e escolher um evento sob medida pra você?

Turismo Cultural

Venha participar dos eventos culturais que englobam as manifestações temporárias, enquadradas ou não na definição de patrimônio, incluindo-se nessa categoria os eventos gastronômicos, religiosos, musicais, de dança, de teatro, de cinema, exposições de arte, de artesanato e outros.

 

Saiba mais